Os gurus do #EmployerBranding

O tema ganhou proporção nos últimos anos no Brasil. Há 10 anos trabalhando no mercado com Employer Branding, só de 2017 para cá eu senti um real interesse das pessoas e empresas com o tema.

Quem tiver curiosidade, pode visitar esse artigo aqui e ler mais sobre a transformação do Employer Branding no Brasil.

Mas, como todo tema em ascensão, o que mais surgem, de repente, são os tals gurus, querendo se aproveitar do desconhecimento das pessoas sobre o tema para se venderem como especialistas.

Hoje todo mundo coloca “Employer Branding” no perfil do LinkedIn para chamar atenção. Todo mundo é isso e aquilo e aquilo outro E “Employer Branding” nas descrições de cargo. Curioso é que o tema tenha tão recente visibilidade e tanta gente “especialista”, do dia para a noite, surgindo nas redes sociais das mais diversas.

O mercado é minúsculo ainda para o Employer Branding no Brasil e quem realmente trabalha com o tema, se conhece bastante e não é de hoje. São profissionais que estão na luta há muito tempo, realmente aprenderem Employer Branding na prática ou construindo seu conhecimento com esforço e boas conexões, quando nem o Google localizava “Employer Branding” nas suas buscas.

Muita gente está começando agora e tem amor pelo tema e potencial para trabalhá-lo, mas ainda falta o primordial: experiência. E leva tempo mesmo! E não tem nada errado nisso, só não vale se vender como “especialista” sem saber do que está falando.

Fazer as pessoas acreditarem que certos discursos são sobre Employer Branding quando não chegam nem perto da realidade e das boas práticas ou achar que a meia dúzia de artigos lidos sobre o tema capacita alguns profissionais a disseminarem o tema com propriedade, “ensinando” outras pessoas, chega a ser irresponsável e oportunista. Tem até gente criando EVP de empresas via redes sociais… dá para acreditar?

E as pessoas que estão curiosas sobre o tema, acreditam nos tais “gurus” justamente porque não tem informação suficiente ainda sobre o tema. Mas, ao mesmo tempo, informação errada ou ruim, também não vale nada, né?

No cenário imaturo que o Employer Branding ainda está no Brasil, ter gente se apropriando do tema sem experiência nele ou vendendo cursos aleatórios, sem profundidade e real aplicação sobre o tema ou criando redes sociais para “trocar experiências” sem as tê-las, disseminando “conteúdo” sem conhecimento de causa ou copiando descaradamente conteúdo alheio atribuindo como criação própria, é, no mínimo, um desserviço ao processo de amadurecimento do Employer Branding, que só vai demorar mais para acontecer no País e realmente ser visto com seriedade e parte da estratégia pelas empresas.

Antes de seguir qualquer pessoa ou perfil de rede social falando do tema, procure saber quem são os profissionais por trás dessas iniciativas, qual o histórico real deles com Employer Branding, porque o que mais tem por aí são aventureiros “trocando experiências” sobre como nadar, sem nunca ter dado uma braçada no mar. Dê uma olhada no LinkedIn desses profissionais, procure referências dessas pessoas com Employer Branding, artigos escritos sobre este tema, empresas que trabalharam efetivamente com Employer Branding e só depois decida se vale a pena segui-los ou não.

Quer uma seleção realmente boa de profissionais responsáveis e experientes sobre Employer Branding para seguir? Te dou uma mãozinha:

De curiosos o mundo está cheio. Não compre gato por lebre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.